Dupla é solta por falta de provas no assassinato do prefeito Ivanildo Paiva

A policia pediu à Justiça a transformação das prisões temporárias (30 dias) dos seis suspeitos em prisões preventivas.

Maranhão Notícias com informações do Jornal O Progresso

IMPERATRIZ – Presos como parte das investigações do assassinato do prefeito Ivanildo Paiva, Gean Dearlem dos Santos Neres e Carlos Ramires Lima Ramos foram colocados em liberdade no fim de semana por falta de provas. Os dois nem foram indiciados no inquérito porque não houve elementos comprobatórios da participação deles no crime.

O delegado que preside o inquérito Praxisteles Martins informou que Gean Dearlem foi convidado para participar do crime mas não aceitou  e Carlos Ramires emprestou o revólver calibre 38 ao cabo da Polícia Militar, Francisco de Assis Bezerra Soares, o ‘Tita’, mas sem saber sobre a finalidade.

O delegado pediu ontem (8), à Justiça a transformação das prisões temporárias em prisões preventivas em desfavor dos seis suspeitos de participação no crime contra o prefeito que são eles: Francisco de Assis Bezerra Soares, o ‘Tita’, Willame Nascimento Silva, José Denilton Feitosa Guimarães, o ‘Boca Rica’, Douglas Silva Barbosa, José Antonio Messias e José Rubem Firmo. Todos incursos no artigo 121, por homicídio triplamente qualificado, ou seja, motivo fútil, por meios que não ofereceram qualquer defesa à vítima e ainda por emboscada.

Decretadas as prisões preventivas, a autoridade policial remete o inquérito à justiça, onde será feita toda tramitação, culminando com a audiência de instrução e julgamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *