Condenada pela morte de Pedro Ventura, ex-mulher aguarda decisão da defesa

O júri oi um dos mais longos da história recente da Justiça em Imperatriz.

Maranhão Notícias

IMPERATRIZ – A defesa vai analisar se recorre ou não da sentença que condenou a ex-mulher de Pedro Ventura, Cícera Célia Teotônio a 18 anos e 11 meses de reclusão pelos crimes homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e ocultação de cadáver. A sentença foi prolatada pelo juiz Marcos Antonio Oliveira por volta das 9h30 do dia 12 de outubro, após três dias de julgamento.

Além de Cícera Célia, também, sentaram no banco dos réus o irmão dela, Daniel Ribeiro Teotônio e a mulher dele, Samara Araújo. Daniel foi condenado por ocultação de cadáver a uma pena de 1 ano e 15 dias de reclusão, mas a pena foi convertida em duas restrições de direito. As restrições foram de fim de semana e a prestação de serviços à comunidade.

Já Samara Araújo foi absolvida da acusação de fraude processual.

Após o julgamento, o tio Pedro Ventura, o coronel do Exército, Guilheme Ventura disse que a maior condenação quem teve foi a vítima.

“Quem sofreu a pena maior foi ele, Pedro Ventura, que foi morto por ela. Então ela trocou uma pena de morte por uma pena de 18 anos, e vai sair de lá na vantagem”, disse Guilherme Ventura.

A mãe de Pedro Ventura, Sula Brandão, ficou muito emocionada durante a parte final do júri. Ela revelou que esperava que todos os três levados ao júri fossem condenados a 26 ou 27 anos. ( Foto: Divulgação).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *