Homem que ejaculou em passageira de ônibus é preso por novo ataque, em SP

O ajudante de serviços gerais Diego Ferreira de Novais foi preso neste sábado, no centro da capital paulista.

Maranhão Notícias

SÃO PAULO – Neste sábado (2), quatro dias após ter sido preso por ejacular em uma mulher dentro de um ônibus na Avenida Brigadeiro Luís Antonio, crime que ficou classificado como ato obsceno, o ajudante de serviços gerais Diego Ferreira de Novais, 27 anos, voltou a ser preso. Sobre a prisão de terça-feira ele acabou sendo liberado pela Justiça.

No caso do meio de semana o homem foi indiciado por estupro por ter sido acusado de esfregar o pênis no ombro da vítima.

Neste sábado o homem atacou outra passageira dentro de um coletivo na região da Avenida Paulista, centro da capital.

À imprensa, a PM informou que a vítima de hoje era uma empregada doméstica que estava indo para o trabalho quando foi abordada pelo homem. Ele segurou a vitima com a perna. Bastante assustada, a mulher entrou em estado de choque, o que levou o delegado a “enquadrar” o caso como crime de estupro.

Depois desse caso, o delegado Rogério de Camargo Nader ( 78º Distrito Policial (DP), nos Jardins, ingressou com um pedido de prisão preventiva à Justiça contra Diego.

O delegado, também, teria solicitado à Justiça que submeta o preso a exames psicológicos para saber se ele pode responder criminalmente por seus atos ou se deverá ser levado a tratamento médico.

Como procedimento imediato, o delegado lavrou o auto de prisão em flagrante pelo crime de estupro. Também foi pedida a instauração de incidente de insanidade mental.

O delegado informou que Diego confessou que já tentou suicídio e já fez tratamento psiquiátrico.

Após este novo caso, Diego ( que entrou na delegacia protegido da imprensa) será levado para uma carceragem onde ficará preso sozinho por questão de segurança.

Dados da polícia mostram que Diego já foi detido 13 vezes por ato obsceno e importunação ofensiva ao pudor. Ao todo são 17 passagens pela polícia. Só esta semana já são três casos de violência sexual contra mulher na capital paulista cujo autoria é atribuída a Diego. (Foto: Reprodução/Facebook).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *