ICMBio lança chamada pública para financiar projetos de pesquisas

As propostas devem ser enviadas até o dia 6 de outubro por meio do site do CNPq.

Maranhão Notícias com informações do Instituto Chico Mendes

BRASÍLIA – O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e as Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) lançam chamada pública para apoiar projetos de pesquisa em 19 Unidades de Conservação Federais e seu entorno nos Biomas Caatinga e Mata Atlântica. Para isso, o ICMBio está disponibilizando R$ 4 milhões.

O prazo para envio das propostas vai até o próximo dia 6 de outubro através do site do CNPq.

De acordo com o instituto, o objetivo é beneficiar pesquisadores, estudantes, educadores, técnicos, comunidades locais, gestores de Unidades de Conservação e formuladores de políticas públicas, entre outros.

Os recursos foram viabilizados via compensação ambiental do Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional e do Gasoduto Cacimba (Catue), e ,ainda, poderá receber complementação das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa. O valor destinado a cada proposta poderá ser de até R$ 200 mil.

O apoio consistirá de itens de custeio e bolsas. A duração máxima dos projetos será de 36 meses. O prazo para envio das propostas vai até o próximo dia 6 de outubro através do site do CNPq. 

A coordenadora–geral de Pesquisa e Monitoramento da Biodiversidade do ICMBio, Katia Torres Ribeiro, informou que os projetos vão contribuir para a implementação das estratégias de manejo, uso sustentável e conservação, além de fortalecer as capacidades de pesquisa interdisciplinar, a inclusão social e a inserção das unidades de conservação no desenvolvimento regional sustentável. Ela destacou que a execução desses projetos proporcionará o envolvimento de comunitários e gestores, e a geração de conhecimentos–chave para alavancar ainda mais a gestão das unidades de conservação federais.

A coordenadora ressalta ainda que a parceria com o CNPq e com as FAPs “é estratégica, pois possibilita a seleção de instituições de excelência e o apoio a projetos por meio de mecanismos que nós, do ICMBio, não dispomos”, explica.

As propostas

As propostas deverão observar um conjunto de oito diretrizes e aderir a pelo menos um dos temas elegíveis previstos na Chamada. As orientações buscam garantir a participação comunitária, a comunicação à sociedade e a aplicabilidade dos resultados das pesquisas à conservação da biodiversidade. Os temas, que abrangem várias áreas do conhecimento, foram definidos com a participação dos gestores das unidades de conservação e atendem a prioridades de pesquisa do ICMBio. ( Foto: Divulgação).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *