Sampaio sai na frente, mas cede empate quase no fim e Náutico-PE é campeão da Série C

Com a vantagem dos 3 a 1 do primeiro jogo, o Náutico apenas se defendeu e foi cirúrgico em duas bolas que resultaram nos gols do empate e do título.

Maranhão Notícias

SÃO LUÍS – Festa do Náutico-PE em pleno Estádio Castelão, em São Luís na tarde desse domingo(6). Graças a vitória por 3 a 1 na primeira partida da final, o Timbu precisou apenas de um empate no segundo jogo para levar o troféu de campeão Brasileiro da Série C 2019.

Para conquistar seu primeiro título nacional, o Náutico precisou jogar com o regulamento e ser “cirúrgico” nas duas únicas oportunidades que teve durante a partida marcada pela superioridade e força do Sampaio Corrêa.

Com apoio de sua torcida, a “Bolívia Querida” entrou em campo em busca do tetra campeonato nacional, mas sabendo que precisaria mais do que uma simples vitória, um triunfo com diferença de três gols para ser campeão ou de diferença de dois gols para levar a decisão para os pênaltis e quase deu certo.

O jogo

O primeiro lance do jogo foi protagonizado pelo Sampaio, em que Huk toca para Esquerdinha que acaba náo conseguindo controlar a boa que ficou com o goleiro.

Com toque de bola rápido e jogadas pelas laterais, o Sampaio abriu o placar aos 13 minutos com Esquerdinha em chute colocado no fundo das redes do goleiro Jefferson. O primeiro tempo terminou com a vitória parcial dos “donos da casa”.

Na etapa final,o técnico Gilmar Dal Pozzo corrigiu erros, fechou mais o time que ficou estrategicamente jogando por uma bola. E deu certo logo aos seis minutos quando Álvaro subiu de cabeça em cobrança de escanteio de Jean Carlos e empatou a partida. 1 x1.

Salatiel poderia ter colocado novamente o Sampaio a frente do placar aos 16 minutos se não fosse uma grande defesa do goleiro Jefferson, do Timbu. Salatiel ganhou a bola de Diego e mandou um grupo forte, mas o goleiro salvou. O goleiro, também, fez boa defesa e mandou a bola para escanteio aos 26 minutos e evitou um gol de Eloir, de cabeça.

O “massacre boliviano’ continuou com uma bola na trave aos 36 minutos em uma bomba de Eloir e no lance seguinte e Nem quase marcou para os pernambucanos.

No abafa, o Sampaio chegou ao segundo gol com Salatiel, após passe de Esquerdinha. O tempo de jogo era 37 minutos, a oito minuto do fim do tempo normal. Era pouco tempo, mas restava acreditar, pois em caso de mais um gol a disputa seria nos pênaltis.

Apesar da força do Tricolor, nem deu tempo de comorar quando o Náutico empatou o jogo, aos 39 minutos, com Matheus Carvalho, que aproveitou falha da zaga do Sampaio. Dois minutos depois, o goleiro Jefferson fez uma defesa milagrosa evitando o terceiro gol do Sampaio. A arbitragem havia acabado de sinalizar seis minutos de acréscimos quando a partida foi paralisada devido a uma confusão generalizada após falta violenta de Diego em Alex Henrique, que acabou resultando na expulsão do zagueiro do time pernambucano. Pela confusão, a arbitragem acrescentou três minutos e o Sampaio foi para cima, já com três atacantes, ao som de um coral das arquibancadas dizendo “eu acredito”, mas já era tarde demais. O tempo acabou e a festa foi do Náutico.

Após a entrega da premiação, a torcida do Náutico foi liberada para fazer a festa dentro de campo. Milhares de torcedores do Timbu, também, fizeram a festa no Estádio dos Aflitos. Fim da terceira divisão e para o Sampaio ficou o consolo da conquista do acesso e que em 2020 terá a chance de brigar novamente pelo tetra. Detalhe: após a partida a torcida aplaudiu o Sampaio em gesto de reconhecimento pela entrega do time em campo. (Foto:Elias Aue, do Site do Sampaio).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *