Suposto pai de bebê abandonado em cemitério de Arame comemora decisão do TJ-MA

O suposto pai diz que a decisão da desembargadora Cleonice Freire vai garantir um julgamento justo e vai provar que é o pai da criança.

Maranhão Notícias

IMPERATRIZ – O suposto pai comemorou bastante a suspensão da decisão do juiz que concedeu a guarda para a suposta mãe que abandonou um recém-nascido no cemitério, no início de novembro, na cidade de Arame, na Região Central do Estado. Para suspender a guarda, a desembargadora do Tribunal de Justiça do Maranhão Cleonice Silva Freire justificou que não foi realizado o estudo psicossocial e nem a avaliação psiquiátrica da suposta mãe que alegou sofrer e depressão pós parto para garantir que ela está apta a cuidar da criança.

A desembargadora, também, determinou que o caso seja repassado para o Juizado da Infância e Juventude da Comarca de Imperatriz e que o bebê fique sob os cuidados de uma casa especializada para este tipo de acolhimento localizada, também, em Imperatriz.

O suposto pai da criança Querlason Soares concedeu entrevista exclusiva ao portal Maranhão Notícias no fim de semana ocasião em falou sobre a decisão da desembargadora e os próximos passos que vai tomar em relação ao caso.

“A decisão da desembargadora nos trouxe um alívio, pois estávamos muito pensativos e com medo com o que poderia acontecer a esta criança”, disse, acrescentando que divulgou uma nota pública em que questionou se o juiz da cidade de Arame leu a sentença em que dava a guarda da criança a suposta mãe. Ele disse, ainda, que a decisão em segunda instância vai garantir um julgamento justo e que terá a oportunidade de pedir a realização de um exame de DNA, o que segundo ele, vai apontar a paternidade e abrir caminho para que solicite a guarda definitiva do bebê.

Querlason Soares acrescentou que a suposta mãe é uma pessoa que não apresenta qualquer distúrbio de ordem psicológica, é professora, tem outros filhos e teria escondido a gravidez porquê após ter engravidado ele se casou. “O silêncio dela seria em vergonha de se apresentar grávida de um homem que agora é casado”, complementou.

Saúde da criança

Independentemente da questão judicial em torno da guarda, o bebe encontrado dentro de uma caixa de papelão, ainda, sujo de sangue e enrolado em um pano, no dia 3 de novembro precisa. Ele está sob os cuidados do Serviço de Acolhimento Familiar de Arame e foi transferido para Imperatriz onde está com uma família acolhedora enquanto passa por exames médicos. A criança tem sintomas de sofro no coração e, ainda, não tem o Registro de Nascimento, o que impede o início do tratamento.

O outro lado

O Portal Maranhão Noticias tentou contato com a assessoria do juiz da cidade de Arame, para comentar sobre as declarações do suposto pai da criança. Uma assessora do magistrado informou que não será emitida nenhuma manifestação sobre o assunto.

Confira entrevista do suposto pai da criança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *