“Vamos formar um elenco mais enxuto e competitivo”, diz Rodrigo Oliveira sobre retorno das competições

O Cavalo de Aço nunca parou os treinos físicos por vídeo conferência e o elenco está pronto para voltar. 

Maranhão Noticias

IMPERATRIZ – A um mês e cinco dias da data prevista para a retomada do Campeonato Maranhense, a diretoria do Imperatriz vem intensificando o trabalho de ajustes no elenco para a continuidade da temporada que terá, ainda, a última partida da fase de grupos da Copa do Nordeste e a Série “C”.  A meta do clube é montar um elenco mais competitivo para brigar por classificação nas duas competições que, ainda, restam que são o Estadual e o Brasileiro da Série C, em que busca o sonhado acesso a Série B.

Numa conversa franca, durante live especial na última sexta-feira(27), o vice-presidente de gerente de futebol do Imperatriz, Rodrigo Oliveira avaliou o desempenho do clube até a parada devido a pandemia do novo coronavírus e traçou metas para o futuro.

“A gente não começou bem, a gente não pode ser hipócrita. Existia uma meta que seria chegar a segunda ou terceira fase da Copa do Brasil e pelo segundo ano consecutivo batemos na trave. Chamo de meta porque seria o divisor de águas na parte financeira, talvez se tivéssemos conseguido não estaríamos amargando hoje o que estamos amargando, que é a falta do recurso financeiro”, disse.

O dirigente, também, disse que a participação na Copa do Nordeste poderia ter sido melhor. Sem chances de classificação, atualmente Imperatriz e Frei Paulistano, de Sergipe, jogam entre si para cumprir tabela, e pelas circunstancias de falta de recursos e pandemia foi lançada a proposta de não realização da partida.  A sugestão não foi aceita pela coordenação que alegou que isso poderia prejudicar a imagem da competição regional.

“Então poderia poupar, até para poupar dinheiro pelo que a gente está passando, mas o pessoal da Liga do Nordeste fez questão que o jogo seja realizado. Vai ser realizado, inclusive será em sede única a Copa do Nordeste. Eles irão custear o resto do campeonato e inclusive vai levar o Imperatriz para a sede onde será a sede única para fazer uma espécie de pré-temporada de quinze dias”, ressaltou.

Para Rodrigo, a realização da partida em sede única com despesas pagas aos clubes é uma boa proposta, mas teme que as datas da Copa do Nordeste se choquem com as da Federação Maranhense de Futebol(FMF).

Mesmo com a falta de recursos, a diretoria vem mantendo os treinos dos atletas por vídeo conferência e mantém conversas com atletas para reforço, embora, ainda, dependa de recursos financeiros. Um dos nomes que está na mesa de negociação é o do meia Eloir, ex- Sampaio, para a Série C.

Resta o Estadual

Todas as competições do calendário são importantes, mas Rodrigo revelou que o momento é de repensar o elenco e apostar nas competições que faltam, com ênfase para o Estadual para “salvar o ano”. Ele disse que se não for possível o título, que o clube precisa pelo menos o segundo lugar para garantir outras vagas que  surgiram com a extinção da Copa FMF deste ano devido a pandemia.

“Então, a gente não começou muito bem, tropeçou na Copa do Nordeste, tropeçou na Copa do Brasil. E nos resta agora o estadual que é um campeonato que nos franquia vagas e a Série C”, destacou acrescentando que a pandemia prejudicou, mas ao menos “fez com que nivelasse todo mundo”.

“No pós pandemia vamos fazer os ajustes necessários. Falamos com Paulinho Kobayashi e ele está vendo as contratações e a estamos esperando a verba financeira, dentro da realidade para fazer as contratações”, que incluem Eloir, caso o meia se “encaixe” na questão financeira.

Esta entrevista foi concedida em live e continua disponível no Instagram @maranhaonoticias

(Foto: Arquivo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *